home > Produção Gráfica > Nas nuvens com o novo Adobe CC
twitter
Banner Facebook

Parceiros

Nas nuvens com o novo Adobe CC Imprimir E-mail
Escrito por Ana Cristina Pedrozo Oliveira   
Qua, 27 de Novembro de 2013

Famosos e populares entre operadores de pré-​­impressão, os programas da desenvolvedora americana Adobe Systems estão com versões novas e com um novo conceito de uso: o Adobe Crea­ti­ve Cloud.
Agora os programas não são mais vendidos como simples produtos. O usuá­rio faz uma assinatura de uso com pagamento mensal que gira entre US$ 9,99 e US$ 49,99, garantindo o uso de todos os programas que fazem parte do pacote Adobe CC. Não há necessidade de estar conectado durante o tempo de uso, somente quando for validar a assinatura. A empresa disponibiliza planos mais interessantes para usuá­rios que pos­suem versões originais dos programas a partir da versão CS3, para estudantes, professores, equipes e empresas.

Os principais programas inclusos no Adobe 
Crea­ti­ve Cloud são:
• Pho­to­shop (edição de imagem)
• Illustrator (ilustrações vetoriais)
• InDesign (lay­out de página)
• DreamWea­ver (cria­ção de sites)
• After Effects (efeitos visuais em vídeo)
• Adobe Pre­mier Pro (produção de vídeo)
• Adobe Muse (geração de site sem programação)
• Adobe Acrobat (edição de arquivos PDF)
• InCopy (fluxo colaborativo edi­to­rial)
• Ligh­troom (edições fotográficas)
Outros programas, como Adobe Au­di­tion, Bridge, Encore, Fireworks, Flash, Encore, Prelude e SpeedG­ra­de, também fazem parte do pacote Crea­ti­ve Cloud. Além dos programas, os usuá­rios receberão todas as atua­li­za­ções dos aplicativos instalados, um espaço para armazenamento e compartilhamento de arquivos em nuvem, que depende do tipo de plano assinado, e também acesso ao Behance ProSite.
O Behance é uma plataforma online de exibição e atua­li­za­ção de projetos que permite gerar um portfólio, bem como o compartilhamento e atua­li­za­ção em comunidades de desenvolvimento de projetos e nas redes sociais mais populares, como Fa­ce­book, Twitter e LinkedIn. Alguns recursos ainda não estão disponíveis, mas parecem interessantes, como o TypeKit, que promete gerar 
sincronização no uso de fontes digitais.
Quan­to aos programas da nova versão, poucos recursos mudaram. Na versão CC o InDesign possui uma interface escura, mudança sofrida pelo Illustrator e pelo Pho­to­shop na versão an­te­rior, CS6.

2. 3.

4. 5.

Novos recursos
InDesign

O InDesign tem uma nova interface. Agora é escura, para ficar na mesma linha que o Illustrator e o Pho­to­shop. Talvez alguns usuá­rios ainda prefiram enxergar seus lay­outs de página mais claros. Para mudar as configurações de interface do InDesign utilize a guia Interface, localizada no menu InDesignPreferences, para usuá­rios de MacOs, ou no menu EditPreferences, para usuá­rios de Win­dows (1).
Para usuá­rios de equipamentos Apple com tela de retina, o programa possui dispositivo de vi­sua­li­za­ção que suporta esta tecnologia, além de 
rodar em 64 bits.
Duas mudanças no InDesign merecem destaque. A primeira é o modo de vi­sua­li­za­ção das fontes disponíveis para uso. A barra de tarefas, localizada na parte su­pe­rior da tela, permite vi­sua­li­zar as fontes com um ícone de uma estrela do lado esquerdo. As fontes que pos­suem uma estrela preta são as favoritas. Para escolher uma fonte como favorita, basta clicar na estrela da fonte desejada (2).
É possível também listar somente as favoritas, clicando na opção Show Favorite Fonts Only (3).
A segunda mudança de destaque é o gerador de QR Code. O recurso é fácil de usar e está localizado no menu ObjectsGenerate QR Code (4).
É possível ­criar vá­rios tipos de QR Code como um endereço de site ou e-​­mail ou até dados de 
texto ou cartão de visita (5).
Além da geração do QR Code, é possível fazer edição das cores, clicando na guia Color (6).
O QR Code está pronto para ser usado em qualquer posição da página (7).

6. 7.

Illustrator
Finalmente, na parte ve­to­rial, temos uma inovação que acredito que muitos usuá­rios irão gostar: uma ferramenta que edita o texto de uma forma simples e não destrutiva. Essa ferramenta é a ­Touch Type Tool (8).
A ferramenta ­Touch Type Tool, quando utilizada sobre uma das letras, permite a edição de posição, re­di­men­sio­na­men­to e rotação de forma simples, apenas com o movimento e clique do mouse (9).
Formatação de fonte, tamanho e kerning, entre outras opções, con­ti­nuam disponíveis, mesmo depois da utilização da ferramenta ­Touch Type Tool.
Ainda não existe consenso entre os usuá­rios quanto ao novo sistema de uso, mas a versão Crea­ti­ve Cloud já está disponível, pronta para ser testada e ava­lia­da. O que todos concordam é que em muitos casos não existe justificativa para a troca de versão sem uma análise mais profunda e que real­men­te comprove uma melhora na produtividade de projetos que utilizam esses programas.
Como sugestão: experimente a nova versão (a Adobe disponibiliza down­load para testes no site da empresa), faça testes com seus projetos e tire suas pró­prias conclusões.

8. 9.

Ana Cristina Pedrozo Oliveira é produtora gráfica da Fábrica de Ideias Comunicações e ministra treinamentos em instituições como Senai, ABTG, Dabra, Bytes & Types e GraphWork, além de prestar consultoria em empresas por todo o Brasil.

Artigo publicado na edição nº 87