home > Gestão > Gestão Ambiental > Gestão de resíduos no ensino profissionalizante na Theobaldo De Nigris
twitter
Banner Facebook

Parceiros

Gestão de resíduos no ensino profissionalizante na Theobaldo De Nigris Imprimir E-mail
Escrito por Simone Amaral   
Qui, 19 de Maio de 2016

O processo offset é largamente utilizado na impressão de produtos editoriais, promocionais, comerciais, artigos de papelaria, embalagens rígidas e semirrígidas, entre outros materiais. Trata-​­se de tecnologia extremamente versátil que utiliza diversos insumos, os quais, se não ge­ren­cia­dos corretamente, podem causar grande impacto negativo no meio am­bien­te.
O curso Técnico de Impressão Offset, oferecido pela Escola Senai Theo­bal­do De Nigris, tem como um dos seus objetivos habilitar profissionais em planejamento, execução e coor­de­na­ção dos processos gráficos, o que inclui a gestão dos re­sí­duos gerados nessas ações.
Neste artigo mostramos como a escola implantou um sistema de gestão de re­sí­duos, tornando-​­o parte fundamental do currículo dos cursos técnicos. A escola não imprime co­mer­cial­men­te, portanto os re­sí­duos são gerados em quantidades muito pequenas. Ainda assim, o descarte inadequado seria pre­ju­di­cial ao meio am­bien­te. No entanto, uma das principais motivações dessa gestão é permitir aos alunos o aprendizado, na prática, de como lidar com essa questão quando estiverem atuan­do pro­fis­sio­nal­men­te.
A Theo­bal­do De Nigris já vinha rea­li­zan­do, ao longo dos anos, diversas atividades isoladas voltadas à preservação am­bien­tal. Essas ações tornaram-​­se sistemáticas a partir da implantação de um projeto piloto de Produção Mais Limpa no setor de impressão offset. Dessa ini­cia­ti­va surgiram outras específicas como a substituição do ál­cool isopropílico, antigamente usado na solução de molha, por um produto bem menos tóxico. Outro projeto implantado foi a redução da aplicação de ­óleos lubrificantes nas máquinas sem o comprometimento da manutenção dos equipamentos.
Igualmente importante foi a cria­ção da Equipe de Qua­li­da­de Am­bien­tal (EQA), formada por fun­cio­ná­rios e alunos com o propósito de promover a educação am­bien­tal e reduzir o impacto am­bien­tal dos re­sí­duos gerados. Finalmente, a escola implantou sistemas de ge­ren­cia­men­to de re­sí­duos. A seguir apresentamos as etapas desse processo no setor de impressão offset. A primeira etapa foi identificar os re­sí­duos e elaborar um fluxograma segundo a classificação estabelecida na norma ABNT NBR 10.004.
A partir do fluxograma foram elaboradas as planilhas de ava­lia­ção de significância am­bien­tal de cada um dos re­sí­duos identificados. Tais planilhas servem para apontar os aspectos ambientais significativos, ava­liar o impacto am­bien­tal negativo dos diferentes re­sí­duos e as ações que precisam ser desenvolvidas para mitigar esse impacto. Nessas planilhas os re­sí­duos são classificados segundo seu tipo, ocorrência, abrangência, severidade e aplicabilidade de requisitos legais.

Tipos (classe)
A    –    Emissões atmosféricas
B    –    Efluentes líquidos
C    –    Resíduos sólidos
D    –    Recursos naturais
E    –    Emissão de energia

Ocorrência
• Acima de um trimestre (1)
• De um mês a um trimestre (2)
• Pode ocorrer dentro de um dia (3)
• Mais que um trimestre, menos de um semestre (4)
• De um mês a um trimestre (5)
• Um dia até uma semana (6)

Abrangência
• Restrito à propriedade (1)
• Fora da propriedade, até o entorno da unidade, até o limite do bairro (2)
• Ultrapassa os limites do bairro (3)

Severidade
• Impacto de severidade mínima, totalmente reversível com ações imediatas sem consequência para o meio ambiente (1)
• Severidade moderada, com possíveis reclamações das partes interessadas (2)
• Impacto significativo, irreversível mesmo com ações mitigadoras, com danos ao meio ambiente — forte consequência financeira (3)

Requisitos legais
• Sim (1)
• Não (2)
Os números entre parênteses são pon­tua­ções que, somadas, indicarão o grau de risco de cada resíduo. Se o resultado final for menor ou igual a 10, o impacto será considerado não significativo, a não ser que exista legislação específica aplicável ou que o grau de severidade seja 3. Se o resultado final for maior que 10, o impacto será considerado significativo independentemente de legislação específica ou do grau de severidade.
Exemplos: Na atividade de corte de papel a pon­tua­ção total é 6. Não existe legislação específica aplicável e o grau de severidade é 1. Ou seja, não se trata de impacto significativo. Já na atividade de preparação de cores especiais a pon­tua­ção total é 6, não existe legislação aplicável, porém a severidade é 3 — trata-​­se de um aspecto significativo. Nesse caso deve ser aplicado um Procedimento Ope­ra­cio­nal (PO) com a finalidade de mitigar o impacto negativo ao am­bien­te. Vá­rios procedimentos operacionais foram cria­dos para determinar como devem ser as etapas para a destinação dos re­sí­duos.

Destinação de resíduos
Os re­sí­duos são segregados e dispostos em coletores. Os recicláveis são encaminhados para uma empresa que os compra. Os não recicláveis são encaminhados para aterros sa­ni­tá­rios em caçambas. Os re­sí­duos perigosos classe 1 são depositados em bags e destinados à incineração. Os efluen­tes líquidos contendo restos de tintas e solventes são armazenados em tanques. Quan­do esses efluen­tes atingem a capacidade máxima dos tanques são retirados por uma empresa que faz o tratamento e a disposição correta. As toa­lhas industriais impregnadas com tintas, solventes, óleo ou graxa são encaminhadas a uma empresa es­pe­cia­li­za­da em hi­gie­ni­za­ção e tratamento dos efluen­tes e depois são devolvidas para a reutilização na oficina.
Para as destinações, a escola teve que pro­vi­den­ciar o Certificado de Movimentação de Re­sí­duos de Interesse Am­bien­tal (Cadri). Esse documento aprova o encaminhamento de re­sí­duos de interesse am­bien­tal aos locais de reprocessamento, armazenamento, tratamento ou disposição final, li­cen­cia­dos ou autorizados pela Companhia de Tecnologia de Sa­nea­men­to Am­bien­tal (Cetesb).
Com o processo implantado, esses procedimentos passaram a fazer parte do con­teú­do programático do curso Técnico de Impressão Offset em dois componentes: gestão de re­sí­duos e segurança do trabalho. No Senai o aluno assume um papel ativo no processo de ensino-​­aprendizagem, participando do diag­nós­ti­co dos problemas ambientais e da busca de soluções. Ele é preparado para aplicar essas com­pe­tên­cias no mundo do trabalho. Além de entender a necessidade dessas com­pe­tên­cias para o desenvolvimento de sua futura prática pro­fis­sio­nal, ele percebe a dimensão da sua atitude para a construção da sua cidadania.

Simone Amaral é agente de apoio ao ensino nas ­áreas de saúde, segurança do trabalho e meio ambiente da Escola Senai Theobaldo De Nigris.

Referências
Anuário Brasileiro da Indústria Gráfica, 2015.
Abigraf, 2015. 271 p.
Brasil. Lei nº 9.795, de 27 de abril de 1999.
Dispõe sobre a educação ambiental, institui a
Política Nacional de Educação Ambiental e dá outras providências. Diário Oficial da República Federativa
do Brasil, Brasília, DF, 28 abr. 1999. Disponível em:
http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/l9795.htm.
Acesso em: 30 nov. 2015.
Senai-​­DN. Metodologia Senai de educação profissional. Brasília, 2013. 220 p.

Artigo publicado na edição nº 96.