home > Entrevistas > Eden Ferraz “Nossa prioridade é superar expectativas”
twitter
Banner Facebook

Parceiros

Eden Ferraz “Nossa prioridade é superar expectativas” Imprimir E-mail
Escrito por Tania Galluzi   
Qui, 25 de Fevereiro de 2016

Em 2010, Eden Ferraz, engenheiro civil com es­pe­cia­li­za­ção em ge­ren­cia­men­to de projetos, uniu-​­se a Paulo Sérgio Gonçalves, Eduar­do Barbosa e Ane­lie­se Ferraz, profissionais com mais de 30 anos de ex­pe­riên­cia no segmento pro­mo­cio­nal, para ­criar no bairro do Brook­lin, em São Paulo, a P+E. Naquele mesmo ano, inscreveram cinco peças no Prêmio Fernando Pini, das quais quatro ficaram entre as finalistas e duas sagraram-​­se vencedoras. Na época, Eden, que é diretor financeiro, afirmou à Revista Abigraf: “Percebemos que o clien­te pro­mo­cio­nal tinha poucas opções em acabamento de qualidade para materiais impressos digitalmente. Investimos em pós-​­impressão, tanto em equipamentos quanto em pes­soal, e
estamos muito satisfeitos”.
A aposta foi certeira e a evolução da P+E continua. A empresa não saiu mais da lista dos vencedores do “Oscar” da indústria gráfica brasileira e em 2015 abocanhou nada menos do que 10 tro­féus, po­si­cio­nan­do-​­se como a maior vencedora da 25ª edição do concurso de excelência. Cinco produtos foram responsáveis pelo bom desempenho, peças nas quais o cuidado do acabamento salta aos olhos, levando à conquista em ca­te­go­rias como Complexidade Técnica do Processo, e os Grand Prix de Melhor Acabamento Cartotécnico, Melhor Acabamento Edi­to­rial e Melhor Impressão Digital.
Nesta entrevista, Eden Ferraz fala sobre as es­tra­té­gias decisivas para o sucesso da P+E, que
atual­men­te conta com 63 fun­cio­ná­rios.

Há seis anos a P+E ganhou o Prêmio Fernando Pini pela primeira vez. Como tem sido a trajetória da empresa desde então?
Eden Ferraz – É extremamente gratificante perceber que nossos esforços são reconhecidos pelo mercado e que os pilares sobre os quais cons­truí­mos a P+E são sólidos e prometem con­ti­nuar sustentando nossos objetivos. Isso nos ajuda a ficar cada vez mais focados na qualidade e a melhorar a cada dia. Estamos dia­ria­men­te em busca da excelência nos trabalhos e os prê­mios traduzem essa motivação. São 25 prê­mios Fernando Pini, seis HP Indigo Brasil e HP Qua­lity Award e um prêmio Scodix Mun­dial.

Quais os principais diferenciais da P+E?
EF – Transformamos dedicação e expertise em soluções rápidas e di­fe­ren­cia­das, com agilidade e qualidade. Pos­suí­mos um atendimento personalizado e uma equipe sintonizada com as necessidades do clien­te. Somamos os melhores equipamentos do mercado com a mais avançada tecnologia em impressão digital e acabamento, garantindo a fidelidade no resultado das cores. Conseguimos unir alta tecnologia, equilíbrio entre custo e qualidade e acabamento artesanal.

A pós-​­impressão é o segredo?
EF – O segredo está no resultado de todas as partes buscando a mesma coisa, a satisfação do clien­te. O acabamento é um di­fe­ren­cial superimportante na P+E, mas existe muita tecnologia e gente estudando e projetando qual a melhor forma de desenvolver cada projeto muito antes de chegar ao acabamento. Nosso segredo está na capacidade de oferecer soluções inteligentes, integradas, efetivas e sob medida. Nossa prio­ri­da­de é superar expectativas, transformando as ideias de nossos clien­tes em algo único e de fino acabamento.

Qual o papel das novas tec­no­lo­gias?
EF – Novas tec­no­lo­gias de impressão digital, de acabamento e enobrecimento são ne­ces­sá­rias num mercado altamente competitivo. Com a impressora inkjet Scodix, por exemplo, conseguimos agregar valor aos projetos de nossos clien­tes em tiragens extremamente reduzidas por ser tratar de um equipamento digital. O resultado final sempre supera a expectativas dos nossos clien­tes perante os recursos oferecidos no mercado ­atual, como verniz UV e high print. O sistema Scodix é su­pe­rior a esses recursos e ainda oferece a sensação táctil de texturas va­ria­das. Acabamos de adquirir também uma HP Indigo 10000. Nosso objetivo principal é aproveitar ao máximo esse novo formato de impressão 75 × 53 cm (papel) / 74 × 51 cm (impressão) e a velocidade do equipamento.

Como con­ci­liar a necessidade de contenção de custo e de investir em tecnologia de ponta?
EF – O exercício diá­rio de análise de custos, ne­go­cia­ção com fornecedores e a busca da eliminação dos des­per­dí­cios são aspectos imperativos para manter os investimentos.

E o envolvimento das equipes? Como acontece o treinamento dos colaboradores?
EF – O envolvimento das equipes se inicia quase sempre no orçamento, visando a redução de custos tanto para a gráfica como para o clien­te. A partir da abertura do pedido tudo fica registrado em nosso sistema, que é utilizado por todos os setores da empresa, desde o orçamento até a expedição. Dessa forma, qualquer alteração fica documentada e visível para todos os colaboradores. Para que tudo isso fun­cio­ne, todos os colaboradores são treinados ao entrar na P+E e passam por ava­lia­ções constantes para determinar se estão utilizando o sistema de forma correta. Além disso, todos passam por uma reciclagem que ocorre em um pe­río­do entre seis e doze meses.

Um dos prê­mios recebidos no Fernando Pini 2015 foi na categoria Conformidade com a Norma. Qual o papel da adoção de normas nos bons resultados da empresa?
EF – As normas trazem padronização para o mercado, assim fornecedores e clien­tes sabem o que esperar de processos e produtos.

O fato de a P+E acompanhar normas e monitorar processos já é percebido pelos clien­tes?
EF – Os clien­tes entendem que atender e estar em conformidade com as normas é uma garantia de qualidade, item muito importante quando se trata de impressão digital, em que geralmente os prazos são extremamente pequenos e não se admitem erros.

Que outros fatores interferem na qualidade dos materiais produzidos pela P+E?
EF – A seleção e fidelização de nossos fornecedores e o controle no recebimento e acon­di­cio­na­men­to de nossos substratos certamente é um deles. Afora isso, a utilização de diversos soft­wares para checagem de arquivos e calibração de nossos equipamentos também é fundamental. Nosso fluxo interno de aprovação, que passa por todos os setores da empresa, é decisivo para a manutenção da qualidade. Unindo todos esses processos, temos diretores atuan­tes nas diversas ­­áreas.

Hoje, quando os clien­tes escolhem a P+E como fornecedor de impressão, o que exatamente eles estão buscando? Quais valores vocês conseguiram agregar à marca P+E?
EF – A qualidade percebida começa no atendimento personalizado (o clien­te espera ser reconhecido pelo nome), na qualidade de impressão e do acabamento, na pon­tua­li­da­de da entrega, na parceria para a produção de projetos complexos executados face to face.
Aqui ele sabe que terá um time dedicado a
transformar o seu projeto em rea­li­da­de.

Quais são os projetos para 2016?
EF – Investimento contínuo em novas tec­no­lo­gias e serviços, visando agregar valor ainda maior aos materiais produzidos. Devemos am­pliar o uso dos recursos da internet e queremos expandir a ação da equipe co­mer­cial, objetivando outros mercados. A meta é elevar nosso faturamento em 15%.

Artigo publicado na edição nº 95