home > Acabamento > Lombada quadrada: evite erros no processo
twitter
Banner Facebook

Parceiros

Lombada quadrada: evite erros no processo Imprimir E-mail
Escrito por Rogério Jambeiro de Souza   
Qui, 25 de Fevereiro de 2016

O processo de acabamento conhecido como lombada quadrada se caracteriza pela aplicação de um adesivo em uma lombada refilada ou costurada, a qual recebe na sequência uma capa em papel, cartão ou cartolina. A encadernação lombada quadrada confere ao impresso uma aparência mais sofisticada do que a lombada gram­pea­da (lombada canoa).
De maneira geral, nesse tipo de encadernação, as dobras do formato aberto são eliminadas, ficando as folhas soltas. Assim, para a rea­li­za­ção do processo basta que o número total de páginas seja par. É muito utilizada em revistas, livros e catálogos, sendo adequada para volumes de 40 a 200 páginas. O ma­te­rial que recebe essa encadernação não deve ser destinado a manuseio intenso, pois o adesivo pode se romper, dividindo a publicação em duas ou mais partes.
A gramatura e a rigidez do ma­te­rial da capa devem ser especificadas levando-​­se em conta o formato e a espessura do mio­lo. Produtos com capas espessas são difíceis de abrir, podendo se romper e perder o perfil reto. Além disso, aderem mal a mio­los finos, provocando uma flu­tua­ção da capa, que resulta em má articulação. As capas com gramatura e rigidez apro­pria­das pro­por­cio­nam a flexibilidade necessária à lombada.
O objetivo deste artigo é descrever os principais métodos para produção de produtos gráficos com lombada quadrada e os cuidados ne­ces­sá­rios para evitar erros durante seu processo e manuseio.
O processo de encadernação automática pode ser dividido nas seguintes etapas:
• Os cadernos são al­cea­dos (co­le­cio­na­dos) em justaposição formando o mio­lo
• Os mio­los são inseridos na gaveta, onde são firmemente presos por um sistema de prensagem. Em seguida são levados às estações de processamento da lombada (corte, risco e limpeza), colagem, encapamento e prensagem
• Após a prensagem, o produto percorre uma esteira longa ou é recolhido em estrados para o res­fria­men­to da cola
• Após o res­fria­men­to, o ma­te­rial é refilado em guilhotina trilateral
Alguns fatores devem ser levados em consideração durante o projeto do produto. Os principais são:
• Encartes de duas páginas são difíceis de colar e nunca devem ser colocados como primeiro ou último caderno do mio­lo. O transporte do mio­lo ao longo do processo in­va­ria­vel­men­te levará à perda de uma parte desses encartes e quando são processados em máquinas de alta velocidade, devido a seu baixo peso, simplesmente voam.
• Um encarte menor que o mio­lo não poderá ser o primeiro nem o último caderno
• Algumas encadernadoras pos­suem restrições a tipos de dobras ou a cartões respostas. Portanto, a gráfica deve ser consultada pre­via­men­te.
• As capas devem ser 3 mm maiores do que o mio­lo para prevenir o sangramento do adesivo após o encapamento, o que poderia danificar o produto e sujar o equipamento.
• No esquema da dobra deve ser levada em conta a margem de 3 mm para o refile da lombada, em pa­péis de até 90 g/m², e 4 mm naqueles acima dessa gramatura.
• Dobras invertidas, com as folhas fechadas à direita, não podem ser encadernadas automaticamente, pois o transporte do caderno é feito pela dobra da parte su­pe­rior do mio­lo, conhecido como cabeça.
• As marcas de colagem devem ser montadas na cabeça e permanecerem visíveis antes do corte final.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Características do adesivo
Um bom adesivo deve ter alto grau de adesão ao papel, facilidade na aplicação, formação rápida do filme adesivo e vida útil longa. Além disso, deve garantir estabilidade e elasticidade à lombada, não sofrer in­fluên­cias da va­ria­ção na temperatura am­bien­te, ter cor clara ou transparente.
O adesivo hotmelt é cons­ti­tuí­do de resinas à base de copolímeros de etileno, acetato de vinila (EVA), livres de solventes e sólidos à temperatura am­bien­te. As vantagens dos adesivos hotmelt são:
• Curto tempo de aplicação
• Possibilita o refile final do produto em linha
• Lombo reto e estável
• Pro­por­cio­na alta velocidade de encadernação
A cola PUR (poliuretano rea­ti­vo) é um sistema de rea­ção de um único componente, que, após a aplicação em temperatura am­bien­te ou sob ação da umidade e do ar, se entrelaça com as fibras do papel solidificando-​­se. Quan­do curado não retorna mais à condição física an­te­rior. Não permite arredondamento para livros encadernados. O tempo de cura mínimo para manuseio é de seis horas. O empacotamento e transporte requer 12 horas de espera. No entanto, o adesivo PUR apresenta importantes vantagens:
• Excelente adesão às fibras do papel
• Ótima resistência do produto acabado
• Excelente característica de abertura das páginas do mio­lo (lay-​­flat)
• Ótima estabilidade à va­ria­ção de temperatura (de –40 a +80 graus centígrados)
• Elevada vida útil do produto acabado
• Resistência ao ataque dos elementos voláteis das tintas de impressão
• Provoca pouca invasão de colas em páginas espelhadas
• Pequena espessura de aplicação da cola na lombada (0,3 a 0,6 mm)
.
Rogério Jambeiro de Souza é instrutor de pós-​­impressão da Escola Senai Theobaldo De Nigris.

Artigo publicado na edição nº 95