home > Tutoriais > Ligaturas no InDesign
Ligaturas no InDesign Imprimir E-mail
Escrito por Thiago Justo   
Qua, 19 de Agosto de 2015

Ligatura, ou sua va­ria­ção ligadura, significa ligação. Em tipografia, ligaturas são glifos que representam a fusão de dois ou mais caracteres, como, por exemplo, f+i. Elas são parte de uma classe generalizada de glifos, conhecida como formas contextuais, na qual o formato da letra depende do contexto de seu uso, como a combinação com letras vizinhas ou a proximidade do fim da palavra grafada. Tais glifos são montados como uma unidade, sem a necessidade de juntar dois caracteres distintos, e pos­suem um espaço entre as letras menor do que a composição das respectivas letras separadas (1).


A tecnologia de impressão com tipos móveis empregava fa­mí­lias tipográficas com inúmeras ligaturas e seu uso era amplamente difundido entre os tipógrafos. A substituição da composição ma­nual de texto por máquinas automatizadas de composição e o estabelecimento da tecnologia de fotocomposição fizeram com que o uso das ligaturas ficasse um pouco esquecido, já que nessas novas tec­no­lo­gias esse recurso não já era tão acessível. O aumento do uso de fontes sem serifa, que pos­suem menor necessidade de ligaturas, também contribuiu para esse cenário.
Com o advento do computador e da editoração eletrônica de textos, as ligaturas perderam ainda mais espaço, uma vez que a maioria das fontes digitais não in­cluía este tipo de recurso. Isso se deve ao fato de os primeiros soft­wares gráficos terem sido em língua inglesa, onde as ligaturas são consideradas recursos opcionais e, por essa razão, suas primeiras versões não contavam com esse tipo de recurso de composição de texto.
Outro empecilho para o uso das ligaturas é o número reduzido de caracteres que podem constar em formatos de fontes digitais como o True Type e o Post­Script. Esse número limitado de caracteres por família tipográfica in­via­bi­li­za a incorporação de caracteres especiais à fonte, como ligaturas, frações ou letras do alfabeto cirílico.
Atual­men­te, tudo isso está mudando com os novos recursos das fontes OpenType. Esse formato de fonte digital pode incluir milhares de caracteres à família tipográfica, fornecendo um suporte linguístico bem mais amplo e controle tipográfico apurado. Também podem incluir vá­rios recursos de composição de texto, como swashes, ligaturas condicionais, caixas altas, frações e números ordinais que não estão disponíveis nos demais formatos de fontes digitais. Além do mais, são multiplataforma, podendo ser usadas em sistema Win­dows ou Macintosh, sem recuo de texto quando você troca o arquivo de um sistema para o outro. As fontes OpenType pos­suem este ícone.
Todas as vantagens e facilidades das fontes OpenType fizeram ressurgir o uso das ligaturas, que estão ganhando cada vez mais adeptos. O InDesign pode inserir ligaturas automaticamente em fontes OpenType. Para isso, se­le­cio­ne a opção Ligadura no menu do painel Caractere. Nesse caso, o InDesign irá usar o padrão de ligaturas definidas na fonte, conforme os desenhos produzidos por seu cria­dor (2).


Além disso, os cria­do­res de fontes podem incluir ligaduras opcionais, que não permanecem ativadas em todas as cir­cuns­tân­cias de uso. Se­le­cio­nar essa opção no InDesign permite o uso dessas ligaturas adicionais, caso estejam presentes na fonte. Para habilitar esse recurso, certifique-​­se de que uma fonte OpenType esteja se­le­cio­na­da. Escolha a opção OpenType no menu do painel Caractere e, em seguida, se­le­cio­ne um atributo Ligaduras condicionais (3).


Nesta mesma janela você pode ativar outros recursos adicionais presentes nas fontes OpenType, como frações, floreios (swashes), números ordinais, alternativas de títulos, alternativas contextuais, versalete e zero cortado. Pronto! Agora você nunca mais verá a dupla f+i com os mesmos olhos.

Thiago Justo é instrutor de pré-​­impressão da Escola Senai Theobaldo De Nigris.

Artigo publicado na edição nº 93