home > Acabamento > Problemas e soluções na impressão de hot stamping
twitter
Banner Facebook

Parceiros

Problemas e soluções na impressão de hot stamping Imprimir E-mail
Escrito por Tobias Meyer   
Seg, 03 de Outubro de 2011

A impressão feita com películas de hot stamping é um sistema utilizado há muitas décadas no Brasil. Na maior parte desse período, o método foi empregado para impressos finos e de pequena quantidade, como convites e embalagens de produtos de alto valor agregado. Essa restrição se dava por dois motivos: a carência de máquinas que pudessem imprimir em grandes formatos e com boa 
produtividade e o elevado custo do material.
Essa realidade mudou há alguns anos. Atualmente, com a grande oferta de maquinário e a queda brusca no preço do produto, a decoração dos mais diversos impressos está sendo feita com hot stamping. Temos casos de embalagens com altas tiragens e até revistas com periodicidade mensal que utilizam este acabamento.
Com essa mudança de mercado, a principal dificuldade encontrada é obter bons profissionais para a execução dos serviços. Antes poucos, quase artesãos, dominavam a técnica. Agora há uma demanda 
imediata por pessoas aptas a executar a tarefa.
A técnica de aplicação é um processo simples, que alia temperatura, tempo e pressão. O primeiro passo é a escolha da película correta. Na ilustração pode ser vista a fita hot stamping com a separação das diferentes camadas de que ela é composta.
Todas essas camadas são importantes e influem diretamente na qualidade final da aplicação. A camada do adesivo deve ser compatível com a superfície sobre a qual será feita a aplicação para garantir transferência e ancoragem adequadas. A camada de metal determina a cor da fita hot stamping. A laca de proteção tem a finalidade de proteger a camada de metal e é ela que determina se o hot stamping aplicado poderá ou não receber impressão posterior (película overprintable ou não). O desmoldante está relacionado com a área de aplicação. Um desmoldante mais “duro” é ideal para impressão de áreas pequenas a médias, permitindo ótima definição para letras e grafismos com áreas em negativo e em positivo. Por fim, temos o filme suporte, que é uma película de poliéster que serve como veículo de transporte para as outras camadas.
Feita a escolha da fita mais adequada, é preciso ainda ter alguns cuidados com o acerto de máquina. A especificação técnica da temperatura de determinada película é apenas o parâmetro inicial de ajuste. Para regular a temperatura certa de um serviço é preciso considerar o substrato sobre o qual será feita a aplicação, o tipo de máquina utilizada, a área de aplicação e as condições do ambiente. Para ajuste de pressão, é recomendado que seja utilizado apenas o necessário para que os clichês encostem por igual no substrato. Feito isso, será preciso fazer calços sobre a chapa do padrão para corrigir imperfeições da máquina e dos clichês.
É importante fazer uma proteção sobre os calços — utilize chapas plásticas com 1 mm de baquelite, epóxi ou polipropileno. Algumas máquinas possuem regulagem de velocidade. Este é um recurso que pode auxiliar na transferência do hot stamping, principalmente em áreas de aplicação chapadas onde normalmente é mais difícil conseguir 
uma transferência completa.
Nunca faça o acerto de máquina utilizando apenas um parâmetro. A perfeita combinação de temperatura, pressão e velocidade garante a execução de um trabalho com mais qualidade e menor 
número de paradas de máquina.
Processos anteriores à aplicação do hot stamping podem influir diretamente na qualidade final do produto. A tinta offset precisa estar totalmente seca para ancorar a impressão hot stamping. Em trabalhos que tenham impressão chapada de cores escuras é necessário um tempo maior de secagem. Para impressos que tenham aplicação de laminação BOPP, é importante saber a procedência do material, que necessariamente precisa ter tratamento corona. Também é importante obedecer à recomendação de temperatura de laminação especificada pelo fabricante. Temperatura em excesso pode danificar a camada do BOPP, causando dificuldade na aplicação. O hot stamping pode ser aplicado sobre vernizes à base d'agua e à base de solvente sem dificuldades. Para aplicação sobre verniz UV há sérias restrições. Por utilizar silicone na sua formulação, esse verniz impede a ancoragem de outros acabamentos sobre ele. Há no mercado vernizes próprios para aplicação do hot stamping. Recomendo que sejam feitos testes antes da execução do serviço e que na produção seja seguida a mesma receita do teste, inclusive a camada aplicada. O verniz UV pode ser aplicado sobre uma impressão hot stamping sem problemas, desde que o material utilizado seja overprintable.
Faça preferencialmente a estocagem das bobinas de hot stamping na posição vertical. Peso excessivo pode danificar o material, causando vincos no filme e dificuldade para fazer o corte das bobinas. É recomendado que o local de estocagem mantenha uma temperatura ambiente entre 9 e 26°C e umidade do ar entre 30 e 60%.


Tobias Meyer é técnico da Crown Roll Leaf do 
Brasil, com 14 anos de atuação no mercado gráfico.

Texto publicado na edição nº 79